Adotadas

Coraline para Adoção (ADOTADA)

21/06/2019 às 14:04 | Tags:

Coraline é uma TBL (boneca tipo Blythe, imitação da Takara, não original) custom por Bruna Machado.
Sou sua primeira dona, e ela está em perfeito estado.
Ela tem pullrings da Bruna também, e vai com roupinha da foto: saia, blusão, meias e sapatinhos.
Acompanha pacotinho surpresa com mais uma ítem de vestuário, miniaturas e mimos do site WeLoveBlythe.
Não aceito trocas, venda apenas. Não acompanha stand.

Ela tem dentinhos e pálpebras pintadas.

Vai com pacotinho de mimos desapego surpresa.
Como é uma boneca customizada a mão, pode ter defeitos.
As roupas, acessórios e mimos são desapegos da minha coleção, podem ter defeitinhos e pequenas manchas de tempo, mas estão em boas condições, como na foto.
Mais fotos da Coraline aqui: https://www.flickr.com/photos/cristinabottallo/albums/72157709190717781
Preço: R$ 500,00 + envio apenas com seguro (PAC ou Sedex), por conta do comprador, pagamento com depósito bancário, antecipado.
Mais informações: cristina.bottallo@gmail.com

Colunas do Vagner

Coluna do Vagner – Viver é um ato político

21/06/2019 às 09:32 | Tags:

Gostaria de poder ter muito mais tempo para conversar com vocês. Não me é tarefa fácil cumprir os papéis de noivo, filho, irmão, cuidador de 3 filhotes de gatos, professor, amigo, educador voluntário, coordenador de curso técnico e gestor de projetos em moda.

Sempre que me é possível gosto de “ajuntar” mais de um papel para desenvolver ao mesmo tempo e nossa conversa de hoje é um pouco disso; juntar Blythes, Moda, Educação e Política. 

Desde o ano passado estava envolvido num projeto piloto chamado “Desafio Fashion Paper Craft” e a fonte de inspiração por mim escolhida foi Zuzu Angel. O Projeto consistia em realizar a customização de um vestido com base de tecido e utilizando apenas papel, com inspiração na trajetória pessoal e profissional de Zuzu Angel.

Mas, porque escolhi Zuzu Angel?

Prometi a mim mesmo que não envolveria Blythes com política mas, como “viver é um ato político” estou eu falando de política por meio de Zuzu…

Não me refiro aqui à política partidária e extremamente polarizada, mas a qualquer relacionamento de troca entre um ou mais humanos. Eu acredito que Zuzu Angel fez política com linhas, agulhas, tesouras, tecidos, rendas e bordados! 

Casou-se, costurou para a família e para projetos beneficentes, destacou-se na costura, ficou famosa criando coleções de saias com tecidos estampados, baratos e considerados “cafonas” e inapropriados para o vestuário. Separou-se, sustentou a si e a seus três filhos.

Ficou conhecida como “a Rainha dos Caftans”: traje de origem oriental, muito usado nas décadas de 60 e 70. Vestiu gente importante como atriz de cinema Kin Novak.

Suas roupas ficaram famosas no Brasil e nos Estados Unidos: inicialmente usou as cores, a fauna e a flora brasileira como inspiração para suas estampas em tecidos, saias e vestidos! Não teve medo das cores!!!!

Era uma feminista que participava regularmente de congressos e eventos internacionais. Foi uma feminista também na prática, valorizando o corpo da mulher brasileira com decotes, transparências, barriga de fora, formas e pernas em evidência sem nunca vulgarizar o corpo feminino. 

No Brasil foi a primeira a criar roupas iguais para mães e filhas, valorizando e respeitando as diferenças e características  individuais de cada uma. Teve a ousadia de colocar sua assinatura na parte externa da roupa por meio das etiquetas com seu nome.

“Das dificuldades nasciam a criatividade.”
Em momentos de crise financeira, enfrentou com dignidade, criatividade e muito trabalho: comprou rendas brasileiras, caminhos e toalhas de mesa, guardanapos e rendas do Nordeste, que na época não eram utilizados para fazerem parte das criações dos estilistas nacionais que valorizaram os produtos europeus e americanos. Zuzu fez vestidos de patchwork de rendas, vestidos de noiva de toalhas de mesa e rendas brasileiras que fizeram muito sucesso entre as brasileiras e as americanas.

Numa época já com a ditadura no comando do Brasil, ousou se inspirar nas baianas típicas de Salvador, nos cangaceiros Lampião e Maria Bonita que sempre personificaram a rebeldia e a luta contra o sistema político dominante. Com a coleção Pastoral, se inspirou em Don Paulo Evaristo Arns figura proeminente de São Paulo que, com maestria seu poder religioso, protegeu militantes políticos contrários ao regime ditatorial que certamente seriam presos, torturados e mortos pela ditadura, como foi Stuart Angel Jones, filho de Zuzu Angel, e tantos outros jovens que perderam suas vidas, apenas por pensarem diferentes e lutarem em favor da liberdade de expressão de todos os brasileiros. 

Após a tragédia com seu filho, vestiu-se de luto, construiu um colar de querubim, um cinto de cruzes que representava cada jovem morto pela ditadura militar.

Nem preciso dizer que Zuzu transformou-se numa militante política, enfrentando de frente, e de peito aberto, grandes generais das forças armadas. Escreveu inúmeras cartas para todos aqueles que possuíam alguma importância e poderiam, de alguma forma, lutar contra a ditadura. Foi a primeira estilista a usar a moda como protesto político ao lançar a coleção com bordados de sol atrás das grades, pássaros engaiolados, soldados infantilizados …

Incomodou tanto as autoridades que acabou morta num acidente ocorrido na madrugada de 14 de abril de 1976. Na saída do Túnel Dois Irmãos (Estrada Lagoa-Barra), no Rio de Janeiro, hoje batizado com seu nome, seu carro derrapou na saída do túnel e saiu da pista, chocou-se contra a mureta de proteção, capotando e caindo na estrada abaixo, matando-a instantaneamente. Hoje sabe-se que este acidente foi provocado pelas autoridades militares que a queriam silenciada.

Chico Buarque de Holanda compôs a música Angélica em homenagem à sua amiga. Em 2006, o cineasta Sérgio Rezende dirigiu Zuzu Angel, filme que retrata a vida da estilista, protagonizada por Patrícia Pillar interpretando Zuzu, com Daniel de Oliveira interpretando Stuart, Luana Piovani interpretando Elke Maravilha em no carnaval de 1998, Zuzu Angel foi homenageada no Sambódromo da Marquês de Sapucaí pela Escola de Samba Em Cima da Hora, com o enredo “Quem é você Zuzu Angel? Um anjo feito mulher”.

Desconheço algum livro de história do Brasil que conte sua história, a de seu filho, ou a de sua nora que também foi torturada e morta.

Uma história triste, mas que precisa ser contada e recontada constantemente, para que possamos estar muito atentos ao futuro que queremos para o Brasil.

Para conhecer mais sobre Zuzu:

No site www.itaucultural.org.br buscando por “ocupação zuzu” você poderá encontrar uma infinidade de materiais sobre Zuzu Angel;

També no site: www.zuzuangel.com.br há um farto material que compõe o acervo digital de onde todas as imagens usadas nesse texto, com objetivo de homenagear Zuzu Angel, foi retirada;

E aqui, a música: https://www.youtube.com/watch?v=Hfj6m3etmKQ Angélica de Chico Buarque de Holanda.

Foto Blythe 1 – bahiana
Croped e saia de Marcelu Figueiredo

Foto Blythe 2 – Maria Bonita
Camisa, saia calça e algibeira de Elen Pontes da M&M dolls

Foto Blythe 3 – Pastoal
Vestido de Larissa Bizacco

Colunas da Cris

Tudo sempre muda…

14/06/2019 às 20:07 | Tags:

Quase um ano depois de ter assumido o site We Love Blythe estou começando a me familiarizar com a página.
Sim, demorou, e eu sei que há muito ainda para organizar.
Agradeço a vocês todas e todos que não deixaram de nos acompanhar aqui – e falo por mim e pelo site. Muito obrigada!

E já vou me desculpando também pelas falhas, demoras e vazios… Descobri hoje que tinha uma caixa de emails com algumas mensagens ainda do ano passado, que eu não vi e por isso não respondi. Mil desculpas! E vou responder a todas, ok?

Tudo em seu tempo, não é mesmo? Aos poucos o site e as páginas vão ganhar movimento de novo. Estou bolando novas pautas, elaborando novos posts, atualizando algumas das categorias do site que estavam inativas, retomando as atividades em outras redes sociais.

Aliás, voltei a postar no Instagram, coisa boa!
Se você ainda não segue o WLB por lá, aproveite para seguir.

Nem tudo será como antes, é fato…
Mas a página “Todos os Modelos”, essa eu garanto que não mudará mesmo! Todos nós, blythemaníacos, somos muito gratos ao WLB por nos ajudar a conhecer e conferir nossas queridas Neos e Middies.

Então, desde já, muito obrigada a você, por continuar por aqui.
Um abraço carinhoso, meu e da Jill, que veio posar de #coloridas da vez por aqui!

Cristina Bottallo