Entrevistas

Tati Castro Entrevista Polly-Jane

4/04/2011 às 10:00

Em se tratando do universo Blytheano, é inegável que um nome que jamais nos fugirá da ponta da língua é Polly-Jane. Polly-Jane, a inglesa que, no flickr, há quase meia década, nos encanta regularmente com suas criativas coleções para Blythe e Moranguinho, misturando tricô, crochê e materiais diversos. Além de todo o talento que a inglesinha esbanja, quem a conhece um pouco mais, logo percebe que ela é uma pessoa fantástica, cheia de vida e sempre transbordando gentileza. Portanto, poucas pessoas seriam tão adequadas para dar início a esta coluna de entrevistas que deverá ocorrer todo início de mês, aqui no WLB.

Uma grande artista e uma de minhas melhores amigas virtuais, vos ofereço um pouco mais de Polly-Jane.

Jane Pierrepont, a mente e mãos por detrás da famosa marca Polly, nasceu em Ilkeston, Derbyshire, no Reino Unido, onde reside até hoje. Quando não está elaborando as maravilhosas peças que são disponibilizadas em sua lojinha, Jane trabalha como Diretora Financeira da empresa de engenharia da família. E de onde surgiu esse nome Polly? – você perguntaria. Jane conta, animadamente, que Polly é o apelido que seu marido deu a ela, uma vez que seu sobrenome de solteira é Pollard. Ela ainda compartilha que se pudesse estar em qualquer lugar do mundo neste exato momento, este lugar seria exatamente onde ela está!

Tati Castro Entrevista Polly-Jane

1. Jane com sua AE, Rea | 2. Estúdio Polly-Jane, em sua residência, em Ilkeston.

Tati: Como você ficou sabendo sobre as bonecas Blythe?
Jane: Em 2006, eu estava fazendo algumas pesquisas na net e me deparei com fotos de uma boneca incrível que, mais tarde, descobri ser a “Blythe”. Eu pesquisei mais e mais sobre elas e me perguntava como faria para conseguir uma para mim. Infelizmente, na época, era bastante difícil encontrar uma Blythe para vender no Reino Unido. Além disso, tinha o frete caríssimo a ser considerado. Na verdade, até hoje, comprar Blythes no Reino Unido é uma tarefa um tanto complicada! Então decidi fazer minhas próprias bonecas de tricô e vestí-las com roupinhas que eu criava. Mas o sonho de ter minha Blythe persistia. Então, tive muita sorte. No final de 2006, quando faziamos uma viajem ao redor do mundo para encontrar amigos na Austrália, decidimos parar em Tóquio. Durante os 3 dias em que estivemos lá, fizemos compras e descobrimos uma loja de quadrinhos maravilhosa, chamada “Mandrake”. E, no fundo da loja, vi algo que fez meus olhos saltarem! Uma armário de vidro com três Blythes, baratas o suficiente para que eu pudesse comprar uma! Eu gostaria de ter tido possibilidade de comprar as três, mas não poderia ser tão fominha! Então, escolhi a Honey, minha Tea For Two Encore, que é serena e linda. Eu realmente a amo! :8:

Honey

Tati: Você prefere Blythes stock ou customizadas? Algum customizador preferido?
Jane: A verdade é que gosto dos dois tipos. Eu tenho o costume de eu mesma futucar minhas bonecas, para torná-las “minhas”. Nunca comprei uma boneca customizada por outra pessoa. Todas que comprei eram stock.

Tati: No momento, você tem quantas Blythes em sua coleção e quais? Tem alguma preferida?
Jane: Tenho 8 bonecas!
Bolinha Honey (T42E) – Minha primeira menina que eu comprei em Tóquio.
Bolinha Merrick (MS) – Ela tem o cabelo mais lindo!
Bolinha Inga (SD) – É tão fascinante! Ela ainda está stock.
Bolinha Toni (TD) – Eu dei-lhe um corte chanel. :8:
Bolinha Bob (MSR) – É ainda stock com exceção de um corte de cabelo (eu gosto de chanel!).
Bolinha Fly (DaBi Custom) Com cabelo de mohair pink. Acho que é minha preferida!
Bolinha Spider (CO Custom) – Com cabelo de mohair branco e pálpebras pintadas com teias de aranha, pelo meu pai, além de eyechips especiais, um com aranhas pintadas e outro que tem peças de relógio dentro. Ela é a minha modelo favorita para as roupinhas Polly.

My Little Family

Tati: Como você iniciou esse trabalho de design de roupinhas para bonecas? Imaginava que se tornaria um negócio de tanto sucesso?
Jane: Eu comecei fazendo um casaco a partir de um padrão de tricô livre que Dollyrockers (Liz) havia disponibilizado em seu site, Knitty. Fiquei muito animada fazendo roupinhas para as minhas próprias meninas até que as pessoas começaram a perguntar sobre as roupinhas que eu estava fazendo. Comecei a vender em maio de 2007 e me divertia tanto que simplesmente continuei fazendo. Me sinto até hoje como a menininha que fui um dia, fazendo roupinhas de boneca o tempo todo! Eu NUNCA esperei que eu fosse terminar fazendo uma pequena “carreira” nisso, mas fico tão grata que isso tenha ocorrido, porque me dá, diariamente, uma felicidade imensa. Mesmo após tanto tempo vendendo, sempre fico empolgada quando vejo que algo na lojinha vendeu, e acho que sempre me sentirei assim. Recentemente comecei a vender meus padrões de tricô e adoro ver, no flickr, o que as outras pessoas criam.

Hearts and Flowers Magical Dream Set

Tati: De onde você tira sua inspiração, ao fazer seus projetos?
Jane: Principalmente de cores, tecidos, lãs e contas que encontro. Eu tenho um enorme estoque de coisas e, de vez em quando, faço uma escavação para ver o que me inspira! :26:

Tati: Qual foi a melhor coisa que você consegui dentro da comunidade bonequeira?
Jane: Meus amigos queridos! (((abraços)))

Contato: Flick | Loja | Twitter | Tumblr | Grupo no Flickr

Leia Também

1 Comentário

  • Responder larissa 04/04/2011 at 13:51

    Amei a entrevista e as dolls dela são muito lindas

  • Comentar